Anestésico SS White 100 - SS WHITE

Cód.: SWO4608A

Embalagem com 50 tubetes com 1,8ml cada.

Atenção! Este produto possui venda restrita ao profissional prescritor, devidamente inscrito em Conselho de Classe.
R$86,90
Esgotado
Calcular frete e prazo

O prazo de entrega inicia-se após a confirmação de pagamento.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

É UM MEDICAMENTO, SEU USO PODE TRAZER RISCOS, PROCURE UM MÉDICO OU UM FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. MEDICAMENTOS PODEM CAUSAR EFEITOS INDESEJADOS, EVITE A AUTOMEDICAÇÃO: INFORME-SE COM O FARMACÊUTICO.

 

COMPOSIÇÃO:

  • Cloridrato de lidocaína...............................0,02g
  • Cloridrato de fenilefrina.........................0,0004g
  • Veículo aquoso isotônico q.s.p.....................1mL

O veículo isotônico contém cloreto de sódio, metabissulfito de sódio e metilparabeno.

 

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

A administração do produto em pacientes recebendo inibidores da monoamino oxidase, antidepressivos tricíclicos ou fenotiazidas pode produzir severa e prolongada hipotensão ou hipertensão. O uso concomitante destes agentes deve ser evitado. Para mais informações, vide a bula.

 

REAÇÕES ADVERSAS

Os eventos adversos após administração da lidocaína são semelhantes aos observados com outros agentes anestésicos do tipo amida, como excitação, sonolência, nervosismo, vertigem. Para mais informações, vide a bula.

  • A lidocaína é um anestésico local, do tipo amida, muito usada na clínica odontológica na forma de injeção.
  • Responsável pelo bloqueio sensitivo, apresenta ação rápida e profunda quando injetada e duração de ação intermediária (1 a 3 horas).
  • Carpule inquebrável: Não quebra ao cair no chão, nem se sofrer flexão dentro da seringa durante a aplicação (se o arpão não tocar exatamente no centro do êmbolo).
  • Maior segurança e menor risco de acidentes.

Anestésico injetável local à base de Cloridratos de Lidocaína 2% e Felinefrina 1:2.500.
O Novocol possui na sua composição sal anestésico o cloridrato de lidocaína e o vaso constritor cloridrato de fenilefrina produzindo anestesia rápida, durando mais que suficiente para todas as intervenções praticadas na odontologia. A velocidade de indução e duração de ação da lidocaína é aumentada pela ação da fenilefrina e de outros vasoconstritores, havendo redução da circulação sangüínea no ponto de aplicação. Como conseqüência deste efeito, o tempo de contato do anestésico com a fibra nervosa é prolongado, aumentando a duração da anestesia.

  • Cloridrato de lidocaína: é quimicamente designado como cloridrato de alfa-dietilamino - 2, 6 - acetoxilidida.
  • Cloridrato de fenilefrina: é quimicamente designado como cloridrato de 1-1-(m -hidro-xifenil) - 2 metilaminoetanol. O pKa da lidocaína é de 7,9 e a solubilidade em lipídios é média. 
  • Indicado para procedimentos de curta e média duração;
  • Utilizado para quando se necessita de controle prolongado da dor;
  • Ideal para casos de necessidade normal de hemostasia, como cirurgias periodontais e tratamentos endodôndicos.

Contra-indicação:

  • Os anestésicos locais do tipo amida são contra-indicados em pacientes com histórico de hipersensibilidade e não eve ser administrado em pacientes com hipovolemia, bloqueio cardíaco ou outros distúrbios de condução;
  • O tipo e a dose do vasoconstritor existente neste anestésico local não constitui fator limitante do seu uso em pacientes com doenças cardiovasculares e hipertiroidismo, quando, na aplicação forem tomadas as precauções recomendadas.

Cuidados e Advertência:

  • A segurança e a efetividade do produto dependem da dose utilizada, da técnica correta de aplicação, das precauções e da rapidez nos casos de emergência;
  • Antes de aplicação do produto, é aconselhável que o profissional faça anamnese de hipersensibilidade anterior e, em caso de dúvida, efetue testes para verificar a hipersensibilidade do paciente ao produto;
  • A administração de qualquer solução anestésica local deve ser feita lentamente (1 ml por minuto) evitando injeção intravascular e, consequentemente, reações sistêmicas relacionadas tanto ao anestésico quanto ao vasoconstritor. No sistema nervoso central pode manifestar-se por excitação, sonolência, nervosismo, vertigem, visão nublada, náuseas e vômitos, tremores, espasmo muscular e convulsão.

Posologia:

  • A dose necessária para se obter uma boa anestesia depende da área a ser anestesiada, da vascularização dos tecidos, do número de segmentos nervosos a serem bloqueados, da tolerância individual e da técnica empregada. Deve ser administrado o menor volume da solução que resulte no anestesiamento efetivo. Deve-se aguardar um tempo entre as injeções para observar possíveis manifestações de uma reação adversa;
  • Em pacientes adultos saudáveis, habitualmente é suficiente de 1 a 3 tubetes, podendo ser aumentado a critério do profissional.

Observação

Registro MS nº 104.110.001.004-3

Bula